Mais de 9 mil privados de liberdade já foram imunizados contra a Influenza

De acordo com dados divulgados pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio Divisão de Assistência à Saúde Prisional (DASP), até o momento, 9.333 reeducandos já receberam a dose da vacina contra a Influenza, exceto os monitorados por tornozeleira eletrônica. A meta é dar continuidade até atingir a massa carcerária em sua totalidade. 

Até o momento, já foram imunizados contra a gripe mais de 9 mil reeducandos em MS.

A 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe teve início em abril e engloba os privados de liberdade também no público-alvo. Em Mato Grosso do Sul, é realizada em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), com apoio das secretarias municipais e as Unidades Básicas de Saúde Prisionais. 

Conforme a Divisão de Assistência à Saúde Prisional (DASP), os dados englobam os presos em regime fechado e semiaberto do estado.

“A prevenção é o melhor remédio, pois evita doenças e, por consequência, possíveis complicações e óbitos. Assim temos que a vacinação salva vidas, principalmente em um ambiente prisional, que é um local fechado, de fácil transmissão dos vírus, vez que neste espaço existem uma maior probabilidade de exposição às infecções pelas doenças respiratórias”, explicou a chefe da DASP, Maria de Lourdes Delgado Alves.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação contra a Influenza permitirá, ao longo de 2022, prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença e óbitos, minimizar a carga da doença, reduzindo os sintomas nos grupos prioritários, que podem ser confundidos com os da Covid-19, além de reduzir sobrecarga sobre os serviços de saúde.

A vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe – A (H1N1), A (H3N2) e influenza B. É considerada segura e reduz complicações que podem produzir casos graves da doença, internações e óbitos. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da Influenza.

Servidores

A Agepen alerta aos policiais penais para realizarem a imunização contra a Influenza e o reforço contra a Covid-19. As doses estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde mais próximas, basta apresentar a carteira de identidade funcional ou holerite.

Conforme recomendação do órgão federal, as vacinas da Covid-19 poderão ser administradas de maneira simultânea ou com qualquer intervalo com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, na população a partir de 12 anos de idade.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os candidatos elegíveis à doação de sangue que tiverem sido vacinados contra Influenza devem ser considerados como inaptos temporariamente, pelo período de 48 horas após a vacinação.

Tatyane Santinoni, Agepen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *