Home / Notícias / Economia / 66% dos brasileiros não estão preparados para despesas imprevistas

66% dos brasileiros não estão preparados para despesas imprevistas


Viver com bem-estar financeiro não é só ter dinheiro sobrando no bolso. Também envolve assegurar o futuro, aproveitar o presente e poder lidar com imprevistos. Atualmente, 66% dos consumidores brasileiros afirmam não estarem preparados para lidar com imprevistos e apenas 11% disseram ter a capacidade de lidar com despesas inesperadas.

Esses dados são de uma pesquisa que apura o Indicador de Bem-Estar Financeiro, coordenada pelo SPC, pela UFRJ e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A proteção contra imprevistos é um dos quatro pilares que sustentam o indicador, ao lado do controle sobre as finanças, compromisso com os objetivos financeiros e a liberdade para fazer escolhas que lhe permitam aproveitar a vida. O nível de bem-estar financeiro de cada consumidor varia de acordo com respostas dadas em dez questões que avaliam os hábitos, costumes e experiências com uso do dinheiro. Numa escala que varia de zero a 100, quanto mais próximo de 100, maior o nível médio de bem-estar financeiro da população; quanto mais distante de 100, menor o nível.

Em março de 2018, o indicador marcou 48,0 pontos. O resultado não se distanciou da média dos últimos meses (47,6 pontos).

Controle das finanças

Outro importante pilar pesquisado no indicador é o controle das próprias finanças: a preocupação com a possibilidade de o dinheiro que tem acabar descreve cerca de 28% dos consumidores.

No geral, 42% nunca ou raramente deixam a desejar no cuidado com as finanças. Por fim, a sensação de que a situação financeira controla a própria vida acompanha 31% dos consumidores.

Objetivos financeiros

O foco e o compromisso com os objetivos financeiros também pesam no bem-estar financeiro dos indivíduos. Nesse pilar, os consumidores brasileiros mostram-se especialmente desprecavidos quanto ao futuro: expressivos 55% dos consumidores afirmaram que não estão assegurando o futuro financeiro, percentual que sobe para 61% na faixa etária de 18 a 34 anos, enquanto apenas 15% garantem o oposto. 47% dos consumidores disseram acreditar que, por causa da sua situação financeira, alcançarão as coisas que querem na vida, mas 19% mostraram-se pouco confiantes a respeito disso.

Outra constatação referente a conquista dos sonhos é que 61% nunca ou raramente têm dinheiro sobrando no final do mês, percentual que sobe para 66% na classe C, D e E, enquanto apenas 10% conseguem a sobra.

Liberdade para fazer escolhas

Não é só do futuro, no entanto, que o consumidor deve se ocupar para ter bem-estar financeiro. A liberdade para fazer escolhas que permitam aproveitar a vida completa os pilares do bem-estar financeiro: os números mostram que 55% não possuem a condição de poder aproveitar a vida por causa da forma que administram o dinheiro, enquanto apenas 12% disseram que conseguem. Indo ainda mais além, 30% dos consumidores disseram que a condição de apenas sobreviver, e não viver plenamente, descrevia a sua situação.

Dar um presente a alguém, exemplo de gasto eventual que pode ocorrer na vida de qualquer um, prejudicaria 26% dos consumidores frequentemente ou sempre. Já 34% seriam prejudicados algumas vezes e 40%, nunca ou raramente.

Aplicativo

Junto ao Indicador de Bem-Estar Financeiro, o SPC Brasil também lançou o aplicativo SPC Consumidor, onde os consumidores podem fazer o cálculo do seu próprio bem-estar financeiro e comparar com a média nacional. O app está disponível para usuários Android e IOS.

Cidade Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *