Home / Notícias / Destaques / Assembleia Legislativa do Piauí tem maior disputa da sua história: Themístocles X Hélio

Assembleia Legislativa do Piauí tem maior disputa da sua história: Themístocles X Hélio


A Assembleia Legislativa do Piauí retorna as atividades no dia 01 de fevereiro, às 11h, com a eleição para a escolha dos membros da Mesa Diretora para o biênio 2019/2021. Na disputa mais acirrada da história do Legislativo, duas candidaturas estão consolidadas: a do atual presidente Themístocles Filho (MDB) e a do deputado Hélio Isaías (Progressistas).

Themístocles tenta o seu oitavo mandato como dirigente da Casa. Está completando 14 anos no final da atual legislatura e se conseguir se reeleger, terá sido presidente por 16 anos, situação inédita entre as casas legislativas de todo Brasil. Ele ocupa o posto de forma ininterrupta desde 2005.

Desde o encerramento da eleição em outubro passado, com o governador Wellington Dias novamente reeleito governador, Ciro Nogueira e Marcelo Castro conquistando cadeiras no Senado, não se fala em outra coisa na política piauiense que não seja a eleição para a Presidência da Assembleia.

De um lado, Themístocles e seu tradicional grupo; do outro, o senador Ciro Nogueira, amparado pela força do Progressistas, que elegeu 5 deputados estaduais, um a menos que o MDB de Themístocles, que fez 6. O PT também fez 5, mesmo número do Progressistas.

A Assembleia tem basicamente três funções básicas: representar o povo; legislar através da criação, modificação ou extinção de leis; e fiscalizar o Governo do Estado. No Piauí, são 30 deputados estaduais eleitos para um mandato de quatro anos e a cada dois anos se dá a renovação da Mesa Diretora.

A Mesa Diretora é formada por nove deputados sendo um presidente; quatro vice-presidentes e quatro secretários obedecendo a composição de cada uma das chapas registradas para disputar o pleito que em geral leva em conta a representatividade dos partidos na Casa.

A intensa disputa pelo cargo de presidente da Assembleia tem a ver com a montanha de dinheiro que anualmente passa pelo Poder. Os próprios deputados é que são responsáveis pela aprovação do orçamento dos Poderes. Para 2019, está aprovado um orçamento de R$ 352 milhões para o Legislativo, um aumento de 4,5% em relação a 2018.

Os deputados da próxima legislatura que tomarão posse no dia 01, os novos e os reeleitos, estão ocupando seus gabinetes e passarão a gozar de salário mensal de R$ 25.322; quem ocupar cargo na Mesa Diretora receberá gratificação de R$ 1.182; além de verba indenizatória de R$ 32 mil por mês; gasto pessoal de R$ 58.504 e ainda verba de gabinete de R$ 80 mil. Cada deputado sai por mês R$ 138.504 ao contribuinte do Piauí.

Fonte: Jornal Meio Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *