Home / Notícias / Saúde / Câncer de próstata afeta 61 mil homens por ano no Brasil

Câncer de próstata afeta 61 mil homens por ano no Brasil

A doença é tratável e pode ser curável, sobretudo quando descoberta em tempo


O mês de novembro é dedicado à saúde do homem. Chamado de Novembro Azul, o período vem marcado por campanhas educativas e ações de prevenção ao câncer de próstata.

A doença acometeu cerca de 61 mil homens ano passado no país, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer).

O urologista Giuliano Aita explica que é essencial que os homens consultem regularmente o seu médico urologista. A doença é tratável e pode ser curável, sobretudo quando descoberta em tempo.

A depender do caso, o urologista pode indicar a retirada cirúrgica da glândula, que pode ser feita por técnica minimamente invasiva e/ou auxílio robótico e consequentemente com menores efeitos negativos sobre a potência sexual. Quando não é necessário, o médico irá indicar o melhor tratamento.
“O câncer de próstata é o segundo tumor mais frequente em homens no Brasil, ficando atrás apenas dos tumores de pele. Apesar de ser uma doença mais frequente após os 65 anos de idade, estão aumentando os casos a partir dos 50 anos de idade”, explica Giuliano Aita.

Essa redução da idade ao diagnóstico é determinada por métodos de detecção mais sensíveis, mas também por conta da maior conscientização do risco do câncer prostático através de campanhas, como por exemplo, o Novembro azul.

Em sua fase inicial, quando o tratamento curativo é possível, o câncer de próstata é uma doença silenciosa, praticamente sem sintomas.
“Com seu avanço podem surgir dificuldade em urinar, perda do controle urinário, vontade frequente de urinar, principalmente à noite, sangramento ao urinar ou ao ejacular”, diz.

Em casos mais avançados, podem surgir sinais como a obstrução do aparelho urinário, dores abdominais, perda de peso e apetite, anemia, cansaço e dores ósseas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a detecção precoce de um câncer compreende duas diferentes estratégias: uma destinada ao diagnóstico em pessoas que apresentam sinais iniciais da doença (diagnóstico precoce) e outra voltada para pessoas sem nenhum sintoma e aparentemente saudáveis (rastreamento).

Homens com histórico familiar de câncer de próstata ou negros (em que a doença costuma ser mais agressiva), devem procurar um urologista após os 45 anos. Para os demais, a idade inicial é 50 anos. Nessa fase, é possível suspeitar da doença por meio de exames de sangue (dosagem de PSA), toque retal e confirmar seu diagnóstico por biópsia, quando indicado.

Cidade Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *