Home / Notícias / Destaques / Em Picos, sinalização vertical e redutor de velocidade serão instalados na Ladeira de Fátima
Terceira faixa adicional na Ladeira de Fátima - Foto: Folha Atual

Em Picos, sinalização vertical e redutor de velocidade serão instalados na Ladeira de Fátima

Equipamento deverá ser instalado até início de dezembro.


O Quilômetro 296, da BR-316, mais conhecido por “Curva da Morte” e/ou Ladeira de Fátima é um dos trechos mais suscetíveis a acidentes com vítimas fatais nas rodovias federais que cortam o município de Picos. A ladeira que acompanha uma curva sinuosa já foi palco de vários tombamentos de veículos de carga.

Entretanto, essa realidade começou a mudar desde julho do corrente ano quando o trecho recebia a terceira faixa, projeto articulado pela Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) de Picos e Teresina, que visa oferecer maior segurança aos condutores e maior fluidez no trânsito.

Nos próximos dias, o projeto terá continuidade com a instalação da sinalização vertical, redutor de velocidade e uma lombada eletrônica. A expectativa da superintendência do DNIT é que até o início de dezembro o projeto na Ladeira de Fátima seja concluído.

“Estamos num trabalho integrado com a Superintendência de Teresina, o senhor Ribamar Bastos, que tem dado toda força para execução dos trabalhos. Já fizemos a pintura horizontal na terceira faixa da serra e terá continuidade com a placa de sinalização vertical. Já colocamos uma parte da defensa metálica e posteriormente um sonorizador e pintura transversal”, afirmou o engenheiro da unidade do DNIT de Picos, Elvo Marton Lima.

O engenheiro ainda comentou que o projeto da terceira faixa em nova etapa será estendido até o trecho de Gaturiano.

“Acreditamos que estas ações vão reduzir consideravelmente o risco de acidentes que aconteciam com frequência no local. O próximo projeto para a BR-316 é aumentar a faixa adicional até chegar ao Gaturiano. Com isso teremos um trânsito fluido a caminho de Teresina”, frisou.

Fonte: Folha Atual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *