Home / Notícias / Destaques / IBGE mostra queda no varejo piauiense, mas mercado aponta para ano positivo

IBGE mostra queda no varejo piauiense, mas mercado aponta para ano positivo


As vendas no comércio varejista avançaram, em março, em 18 unidades da federação, mas o Piauí está na lista das exceções. Em relação ao mês anterior o estado registrou recuo de -3,9% nas vendas no varejo, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Como mostra a pesquisa o Piauí figura ao lado do estado de São Paulo, o qual registrou retração de -3,6%. Os dois estados foram os que apresentaram maior saldo negativo no atual mês.

Tertuliano Passos (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)
Tertuliano Passos (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

Em entrevista concedida ao Portal AZ o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí (Sindilojas-PI), Tertulino Passos, garantiu que a queda não afetará o desempenho do varejo piauiense este ano. Houve ligeiro crescimento no início de 2018 e a previsão é de um incremento ainda maior nas vendas, afirma ele.

“Em 2018 houve uma melhora, muito pequena [de menos de 1%], mas houve, e a perspectiva é de crescimento maior. O crescimento melhor é referente à mudança no cenário econômico e pela data também, mais pela data”, disse Tertulino.

Em situação oposta ao do Piauí estão Espírito Santo (5,1%); Distrito Federal (4,4%) e Acre (4,1%). Já o estado da Bahia registrou estabilidade nas vendas (0,0%) em março.

Considerando o comércio varejista ampliado, o avanço atingiu 20 das 27 Unidades da Federação, com destaque para o Acre (3,9%) e o Mato Grosso do Sul (2,8%). Já o Amapá (-5,7%) aparece com queda mais intensa nas vendas.

O comércio varejista inclui itens como móveis, eletrodomésticos, tecidos, vestuário e calçados. O comércio varejista ampliado engloba as atividades de venda veículos, motos, partes e peças e de material de construção.

Em termos gerais o desempenho varejista foi satisfatório, indica o IBGE.

Mercado aponta para ano positivo (Foto: ilustrativa)
Mercado aponta para ano positivo (Foto: ilustrativa)

Em março de 2018, o volume de vendas do comércio varejista nacional variou 0,3% frente a fevereiro, na série com ajuste sazonal, após recuar 0,2% em fevereiro. Com isso, a média móvel trimestral teve ligeiro aumento de 0,3% frente ao trimestre encerrado em fevereiro. Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista cresceu 6,5% em relação a março de 2017, o maior resultado desde abril de 2014 (6,7%). Com isso, o varejo acumulou altas de 3,8% no ano e de 3,7% nos últimos 12 meses, mantendo a recuperação em curso desde outubro de 2016.

No comércio varejista ampliado o volume de vendas avançou 1,1% em relação ao mês anterior, após relativa estabilidade em fevereiro (0,1%), nesta mesma comparação. Frente a março de 2017, na série sem ajuste, houve alta de 7,8%, décima primeira taxa positiva consecutiva, acumulando ganho de 6,6% no ano. O acumulado nos últimos doze meses (6,2%) foi o maior desde junho de 2013 (6,4%). O material de apoio da Pesquisa Mensal de Comércio está à direita desta página.

2017

Frente a março de 2017, houve aumento em 26 das 27 Unidades da Federação, com destaque positivo, em termos de magnitude de taxa, para o Acre (18,0%), o Amazonas (15,6%) e o Espírito Santo (15,1%). Por outro lado, em Pernambuco (-0,4%) houve a única taxa negativa entre as unidades da federação. Quanto à participação na composição da taxa positiva do varejo, destacaram-se: São Paulo (4,8%), Rio Grande do Sul (12,6%) e Rio de Janeiro (7,9%).

Considerando o comércio varejista ampliado, todas as 27 Unidades da Federação apresentaram variações positivas no volume de vendas na comparação com março de 2017, com destaque para o Espírito Santo (16,3%) e o Amazonas (16,2%). Quanto à participação na composição da taxa positiva, destacaram-se, pela ordem: São Paulo (8,4%); Santa Catarina (15,7%) e Rio Grande do Sul (10,3%).

Dia das Mães

O feriado de dia das mães é considerado para o comercio o segundo Natal. Mesmo com a crise e menos pessoas indo às ruas comprarem produtos, o índice de venda aumenta bastante nessa época em relação às outras datas do ano. Este ano, por exemplo, o número de vendas é satisfatório e apresenta um saldo positivo para a economia piauiense.

Comércio no Dia das Mães (Foto: Ilustrativa)
Comércio no Dia das Mães (Foto: Ilustrativa)

Também ao Portal AZ, Tertuliano Passos afirmou que para Teresina espera-se que o crescimento de vendas nesse feriado cresça 5%, fazendo com que a taxa do ano de 2018 seja maior do que a de 2017, que cresceu apenas 2% em relação ao ano antecessor.

Ele afirmou que o aumento nas ofertas, assim como um prazo maior para o pagamento das compras e liquidações foram algumas das estratégias usadas pelos lojistas para atrair um público consumidor.

Fonte: AZ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *