Home / Notícias / Destaques / Ministério autoriza estudo para viabilidade da Adutora do Sertão no Sul do PI

Ministério autoriza estudo para viabilidade da Adutora do Sertão no Sul do PI

Nesta segunda-feira (15), o secretário nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, Henrique Pires, esteve no Jornal Agora para tratar sobre as ações do Governo Federal na área do abastecimento, com o início dos estudos para a construção da Adutora do Sertão, na região sul do Piauí.

Na semana passada, o Ministério da Integração Nacional garantiu os recursos para a realização de um estudo de viabilidade econômica e ambiental para a construção da adutora, que visa explorar o Aquífero Cabeças,  captando água e levando para municípios do semiárido piauiense, no sudeste do estado.

Além disso, Henrique Pires falou sobre o andamento das obras do Centro de Convenções de Teresina e, segundo ele, o Governo do Piauí ainda não teria solicitado, junto ao Governo Federal, a liberação dos recursos para a conclusão da obra.

Henrique Pires (Crédito: Reprodução)
Henrique Pires (Crédito: Reprodução)

“Eu sempre falei para o governador, falo para o prefeito Firmino Filho e para quem sempre me procurou quando eu estava na Funasa, no Turismo ou nas Cidades: se é para ajudar o Piauí, não interessa a cor partidária, o pensamento político ou a ideologia. E tentamos no Centro de Convenções, fazendo deliberações visando gastos de aplicações, mas, sempre disse que, na primeira reunião que fiz com a Caixa Econômica, me falaram da dificuldade para a parte cênica, não adianta ter a parte estrutural e não ter a parte cênica, você não vai inaugurar nunca. Até hoje o Ministério do Turismo aguarda a solicitação do Governo do Piauí para a liberação dos recursos, que nunca chegou”, disse.

Sobre o empréstimo da Caixa para o Piauí, Henrique Pires negou que haja má vontade do Governo Federal na não liberação dos recursos. Segundo ele, a demora se dá por conta da burocracia.

“Já foi deliberado uma parte, a segunda parte está esperando a prestação de contas. Jamais que o presidente ou o gabinete dele irá fazer qualquer ingerência para prejudicar qualquer estado, não acredito nisso, vejo como uma questão de burocracia”, destacou.

Fonte: Cidade Verde | Foto: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *