Home / Notícias / Destaques / Picoenses reclamam dos aumentos quase diários no preço da gasolina

Picoenses reclamam dos aumentos quase diários no preço da gasolina


Os últimos reajustes no preço da gasolina têm causado espanto e reclamações por parte dos consumidores picoenses. Alguns postos da “cidade modelo” estão cobrando acima de R$ 4,80.

 As distribuidoras e subsidiárias da Petrobrás, que determinam o preço dos combustíveis fósseis com base no ICMS, CIDE COMBUSTIVEIS, PIS/PASEP E CONFINS desde o ano de 2017, já resultou em aumentos sucessivos na base de 60%.  Infelizmente, o consumidor está tendo que arcar com a alta carga tributária no preço final nos combustíveis, inclusive, com a nova política de atualização de preços da Petrobrás, resultando em aumentos quase que diários.

A reportagem do Folha Atual foi às ruas, para saber sobre a instabilidade do preço dos combustíveis, que tem prejudicado diariamente a rotina de quem precisa de gasolina, provocando assim um forte impacto no custo de vida e nos orçamentos de quem necessita de um transporte para trabalhar.

Para o comerciante José João, a situação atual do Brasil e a atual conjuntura política brasileira se tornaram os principais determinantes para o aumento do preço dos combustíveis, trazendo consequências diretas na vida das pessoas.

“É um absurdo o que atualmente estamos passando com essa situação Política do Brasil, onde para mim se torna como um dos principais motivos para tudo isso. O aumento dos impostos que estão acontecendo diariamente, não afeta só as contas dos postos de gasolina, mas também impacta em vários fatores que acaba caindo no bolso do consumidor final”, reclama.

Para quem usa carro ou moto como meio de transporte diário, o aumento do preço da gasolina resultará em um gasto ainda maior no final do mês. O aumento do Diesel e da gasolina também influenciou em importantes setores da economia, comércio e indústria, pois também sofrem com essa mudança afetando o orçamento familiar.

Além da crise nacional, que para muitos é indicado como o principal fator, o impacto do combustível não será apenas no momento de abastecer o carro, na medida em que os caminhões, ônibus gastarão bem mais para rodar, e o prejuízo resultará no aumento do valor nos fretes e passagens.

Quem se locomove todos os dias para ganhar clientela e o sustento de casa, ainda custeia e sofre com manutenção e preço. Para o autônomo Francildo Ferreira, de 57 anos, que precisa de transporte para trabalhar, daqui a alguns dias estará se locomovendo de bicicleta, pois não terá como cobrir o valor imposto por a gasolina.

“É muito vergonhoso para o nosso país a situação que estamos passando. Isso anda refletindo e afetando uma crise bem difícil, pois não é todo mês que sofremos com o aumento da gasolina, mas sim, todos os dias”, relata.

Folha Atual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *